Vó, eu dou aula na internet!

Como explicar para sua avó o que você faz quando você ensina online? Esse é um desafio na #VidadeInstrutor: explicar o que você faz para quem não está nesse meio… e você? Como você explica o que você faz?

Como explicar para sua avó o que você faz quando você ensina online?

Este foi o tema de discussão lançada no grupo de instrutores Udemy esta semana. A pergunta exata é:

Caso vocês tivessem que explicar o curso de vocês (seja linguagem de programação, ferramenta web e etc) para a sua avó, como você faria?

Mas, como geralmente não temos somente um curso publicado, então resolvi “alargar” o sentido da questão que é de extrema importância. Sim, pois neste caso, “avó” é a metáfora para todas as pessoas que ainda não estão familiarizadas com o ensino online e o empreendedorismo digital.

Ora, muita gente (mesmo da nossa geração) ainda fala em “ganhar dinheiro na internet” como se para isso, bastasse estar conectado para que o dinheiro entre na sua conta!

Outros simplesmente não entendem como isso pode acontecer nem como pode gerar renda.

Eu atuo no ensino a distância desde 2011 e se antes minha sogra (pouco mais de 70 anos) não entendia o que eu fazia mas sabia que eu tinha um bom contrato de trabalho e por isso ficava menos preocupada, quando eu resolvi empreender online, ela perdeu completamente o “controle” da situação:

“essa tua coisa de internet” é o que ela conseguiu guardar de toda a história.

Mas responde toda faceira quando alguém pergunta o que eu faço:

 “ela trabalha na internet!”

Se é engraçado (e as explicações dos meus colegas no post foram muito criativas e atenciosas) nos deparármos com essas declarações de pessoas pouco familiarizadas com nosso trabalho, é preciso pensarmos sim em uma maneira de deixar claro o que fazemos!

E isso, em diferentes níveis:

Sua família, amigos e pessoas que você encontra offline:

sim, eles precisam entender o que você faz! Eu adotei o “eu dou aulas pela internet” pois acredito que isso dê uma primeira visão do meu trabalho. Como sou professora de francês de formação, a pergunta deles é sempre: “aulas de francês?” e a partir daí, continuo minha explicação. Quando vejo que a pessoa está interessada em realmente entender como funciona, mostro meu site, meus cursos e como qualquer um pode participar. É um encantamento geral… sim, pois aprender e ensinar online é mágico mesmo!

Visitantes do seu site e seguidores nas redes sociais:

esses são, em princípio, seus potenciais alunos e aqui, você precisa ser um pouco mais claro e objetivo. Um visitante do seu site, do seu blog, chegou até ali (normalmente) porque fez uma pesquisa no Google e achou um dos seus artigos, um vídeo no Youtube ou qualquer outro tipo de conteúdo gratuito que você criou e publicou na rede, certo? Claro, ele também pode ter vindo atraído por um dos seus anúncios e posts nas redes sociais. Com essas pessoas, sua linguagem precisa ser mais específica e seu discurso direcionado para atrair o interesse e conquistar a confiança delas. Sua audiência precisa saber não somente o que (cursos online) você faz, mas também porque (suas motivações, competências e valores) e como (seu diferencial) você o faz.

Um exemplo simples: se você oferece cursos de informática não vai adiantar nada criar conteúdos sobre saúde, bem-estar ou auto-ajuda. Simplesmente porque sua audiência não vai identificar suas competências para ensinar alguma coisa na área de informática se ela conhecer você dando dicas de “como viver bem”, certo?

Visitantes da página de inscrição do seu curso online:

essas pessoas já estão muito perto de se tornarem seus alunos e aqui, a comunicação precisa ser ainda mais específica!

Um bom método para desenvolver uma comunicação eficaz com os visitantes da página de inscrição do seu curso pode ser o método AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação).

Atenção: aqui você vai (é claro) atrair a atenção do seu visitante. Isso acontece nem poucos segundos e aqui o título e subtítudo serão suas armas! Eles devem chamar a atenção do seu público-alvo e de preferência, repelir os outros. Veja este exemplo do meu curso Vídeos sem Mistérios

Título do curso: Vídeos sem Mistérios

Subtítulo do curso: Aprenda a criar vídeos de forma rápida e eficiente, com poucos recursos e sem temer a timidez!

Com o subtítulo, que deve ser uma descrição breve e objetiva do curso, eu tento chamar a atenção de um público muito específico: pessoas que querem criar vídeos de forma rápida e eficiente, com poucos recursos e sem temer a timidez! (ou seja, alguém que não gosta de se mostrar nas câmeras e não está querendo “concorrer ao Oscar”).

Interesse: aqui é o momento de ser conectar, de falar diretamente com seu futuro aluno. Se você conseguiu atrair a atenção dele ele vai:

  • assistir seu vídeo promocional e
  • ler a descrição do seu curso, certo?

Então, capriche!

Existem diferentes maneiras de criar esta conexão com seu futuro aluno. Eu uso muito a tática do questionamento pois ela permite uma identificação imediata com o “problema” enfrentado pelo aluno e nos permite então, apresentar nossa solução. Para continuarmos usando o exemplo do curso Vídeos sem Mistérios, a primeira coisa que eu pergunto é:

– Você, assim como eu, não sabe se comportar na frente das câmeras?

E essa pergunta é proposital: ela cria uma identificação imediata entre as pessoas que assim como eu, não sabem se comportar na frente das câmeras! E, pretente desinteressar as pessoas que procuram um curso que ensine também a falar para as câmeras. Tento reforçar esta ideia com imagens de uma situação real, veja:

 

 

Desejo:  aqui você vai precisar criar um desejo de aprendizagem, de evolução e de participação no seu futuro aluno. Esse desejo pode ser criado de diferentes maneiras mas, a mais eficaz (e mais honesta!) é dizendo claramente como o aluno vai poder alcançar seus objetivos e resolver o problema enfrentado.

Exemplo: “eu vou ensinar para você como criar vídeos explicativos e engajadores, vídeo-aulas, tutorias instrutivos e eficientes, vídeos promocionais que envolvem, engajam e conquistam novos clientes  de forma rápida e descomplicada usando apenas 3 ferramentas gratuitas!”

Ação: aqui você precisa levar seu aluno a dar o próximo passo! Este próximo passo não precisa ser a inscrição imediata no seu curso, pode ser também para que ele assista as próximas aulas para visualização gratuita, para que ele leia o programa do curso e até para que ele entre em contato direto com você.

Eu geralmente uso:

Assista as aulas disponíveis para visualização gratuita, confira o programa completo e para todas as suas dúvidas, não hesite em me contatar! Todos os meus contatos estão aqui na página do instrutor e você poderá facilmente me encontrar nas redes sociais e por e-mail!

Saber se comunicar com seu público nos diferentes níveis de conhecimento é essencial para o sucesso do seu negócio e isso é um exercício constante! Eu uso a técnica do Círculo Dourado desenvolvida pelo Simon Sinek, um antropólogo americano que estudou justamente o discurso dos grandes líderes. Segundo ele, as pessoas não compram o que você faz, elas compram o seu porquê (porque você faz o que faz). Esta técnica tem me ajudado muito a ter mais clareza na comunicação com meu público e eu tento ensiná-la no meu curso gratuito Desenhe seu círculo dourado e tranforme sua vida. Se você quiser participar e aprender mais sobre o assunto, basta clicar AQUI e se inscrever gratuitamente.

Mas e você? Como se comunica com seu público? Quais são sua técnicas? Sua estratégias?

Compartilhe conosco aqui nos comentários!

Ps. No artigo Coração de Instrutor Udemy prometi dar notícias da minha mentee, lembra? Mas a semana passada voou e eu nem consegui escrever aqui… pois então, a entrevista correu super bem e ela já fez até um dia de trabalho “teste” (comum aqui na Alemanha). O resultado final vai aparecer nas próximas semanas… (ansiosas, esperamos as novidades!). Amanhã, outra mentee tem entrevista!! e estou começando a pensar a criar um curso sobre “como encontrar um emprego na Alemanha” 😉

About the Author

Leila Adriano Ostoyke é Professora, Empreendedora Digital e Instrutora Udemy.

Leave a Reply 0 comments

Leave a Reply: