Gratuito, pago, gratuito por tempo limitado? eis a questão!

A #VidadeInstrutor vai muito além da criação de conteúdo, de vídeos, exercícios e a publicação de cursos online. Quem publica seu curso online, torna-se automaticamente um empreendedor digital! e com isso, muitas outras questões aparecem… uma dela é a precificação dos cursos.

Curso gratuito, pago, gratuito por tempo limitado?

Devo publicar um curso gratuito? Um curso pago? Ou dexá-lo gratuito por tempo limitado?

Antes de responder essas perguntas, devemos considerar o que o marketing digital chama de “prova social”. A prova social é o que mostra a aceitação do seu curso pelo público em geral. Veja este exemplo simples:

curso de tênis com Andre Agassi

Andre Agassi

Considerando que você fale inglês, em qual dos dois cursos você se inscreveria?

Isso acontece exatemente por que as pessoas tendem a seguir a multidão (o tal do efeito manada, sabe?). Se pegarmos um exemplo mais corriqueiro: você está procurando um lugar tranquilo para jantar… passa em frente de um restaurante cheio e outro vazio. Onde você vai jantar?

Isso porque, apesar de estarmos procurando um “lugar tranquilo” um restaurante vazio não nos passa credibilidade, certo? É normal e é humano!

O mesmo vai acontecer com seu curso online: sem alcançar uma quantidade razoável de alunos e de depoimentos ele não terá credibilidade para aquele aluno que ainda não conhece você.

Ahh então é melhor começar com um curso gratuito?

Não necessariamente! Os cursos gratuitos atraem muitos participantes e pouca participação… é normal: a pessoa está passeando pela plataforma, acha o curso gratuito interessante e para não perder a oportunidade, se inscreve! Se inscreve na hora e esquece do curso alguns minutos depois.

A decisão de se inscrever em um curso gratuito é quase automática (é como provar tudo o que é oferecido no supermercado, sabe? Tá ali mesmo, por que não pegar?) e é completamente diferente da decisão de pagar por uma inscrição. O ato de “pagar” por um produto ou serviço exige pesquisa, comparação e reflexão (você pode voltar ao exemplo do Agassi ou dos restaurantes para comprovar o que eu estou dizendo). Com isso, os alunos que pagam pela matrícula tendem a ser mais comprometidos com o processo: eles (ou uma grande parte deles) lêem o programa do curso, assistem as aulas disponíveis para visualização gratuita, os comentários dos outros alunos e em alguns casos, até tentam saber mais sobre você.

Ahh então o melhor é deixar meu curso gratuito até ele ter um bom número de participantes e depois passá-lo para pago?

Essa pode ser sim uma boa opção: você reúne um bom número de alunos (para a prova social) e depois passa a cobrar pelo curso. Este pode ser um período de testes para você instrutor: você poderá sim testar a aceitação do seu curso e reunir os primeiros feedbacks dos seus alunos. Contudo, lembre-se que nesta fase, você será confrontado com o mesmo problema de comprometimento dos seus alunos. Durante esta fase, seus alunos terão o comportamento dos alunos de cursos gratuitos.

Ahh mas seu não tenho “prova social” como vou ganhar visibilidade dentro da plataforma para obter vendas orgânicas?

Para isso existem os cupons gratuitos e você pode sim tirar muito proveito deles!

Todo instrutor tem a possibilidade de criar cupons com 100% de desconto e normalmente estes cupons são distribuidos entre os outros instrutores Udemy para que eles mesmo possam avaliar nossos cursos. Alguns instrutores são bem generosos e distribuem muitos cupons de desconto no grupo, outros mais comedidos não passando de 10 cupons.

Muitos ou poucos esses cupons acabam em questão de minutos e como eu já falei no post “o que faz o coração de um instrutor Udemy dispararquem acabou de lançar seu novo curso entra naquele estado ansiedade comparável a uma criança esperando o Papai Noel…

E essas avaliações que não chegam? E o fulaninho que nem começou o curso? Ahh o ciclano já se inscreveu? Ele é rápido na hora de pegar o cupom mas nunca faz o curso e nem deixa avaliação… nesses últimos tempos, a reclamação sobre os cupons gratuitos dentro do grupo chegou ao extremo: “tem instrutor que avalia sem ter terminado o curso!”.

Minha indagação interna lendo este tipo de reclamação foi em alemão: Hallo???

Cumpra a sua promessa!

A grande promessa dos cursos online disponíveis na Udemy é:

Aprenda onde e quando quiser pois você terá acesso vitalício ao curso!

Então, pare de cobrar a participação dos seus alunos! Você prometeu que ele poderia começar, terminar, ver e rever as aulas quando quisesse, certo? E agora vai cobrar presença? Seja coerente com o modelo educacional que você escolheu: nós (instrutores e/ou alunos de EaD) não estamos mais na escola primária onde a “tia” passava para ver os cadernos e controlar os deveres!

Incentive (não exija!) a participação:

Segundo Kizilcec, Piech, & Schneider (2013) existem basicamente 4 tipos de alunos de EaD:

tipo de alunos na eudcação a distância

E, para que seu curso online possa engajar esses quatro tipos de alunos é preciso que você também crie um plano de comunicação e atividades que favoreçam a participação de cada um deles.

O aluno “empreendedor” precisa ser desafiado, chamado para a ação pois ele vai, mesmo de forma autônoma, pesquisar, produzir e compartilhar. Para esses alunos, é importante que você trabalhe o fórum de discussão: envie perguntas, peça ajuda… ele está ali para fazer!

Os “ouvintes” são os participantes que assistem as aulas, fazem as atividades mas não interagem. Eu vejo muitos desses alunos nos meu cursos: eles pagam pela matrícula, fazem o curso completo, avaliam com 5 estrelas (sem deixar comentários) e nunca, nunca entram em contado comigo ou interagem dentro da plataforma. Contudo, uma parte deles está instrito em TODOS os meus cursos (geralmente são os primeiros a se inscrever).

Os “desconectados” são os alunos que se inscrevem no curso, assistem algumas aulas e desistem completamente do curso. Alguns deles nem começam o curso! E isso não é um fenômeno dos cursos gratuitos, veja esta tela de evolução dos alunos matriculados no curso Vídeo sem Mistérios:

progessão alunos EaD

 

Os alunos empreendedores deste curso já têm seus vídeos publicados e alguns até já lançaram seus cursos online… outros nem começaram o curso.

E, por fim, temos os “catadores” (e eu francamente me incluo nesta “categoria”). Esses são aqueles alunos que escolhem exatamente as aulas que querem assistir e voltam ao curso sempre que precisarem realmente assistir cada uma dessas aulas.

Um curso online de sucesso deve procurar engajar cada um desses tipos de alunos no processo: por isso a necessidade de varias o formato das aulas, dos materias disponíveis e das atividades práticas. Você não necessariamente conseguirá alcançar cada um deles, mas o mais importante aqui é justamente entender os diferentes tipos de alunos para entender o comportamento deles. Por isso, tente engajar e pare de cobrar!

O que não custa nada, não vale nada!

Se em algumas culturas notamos até uma certa ganância pelo gratuito, em outras (como na germânica) existe quase uma aversão pelo gratuito. Aqui na Alemanha existe até o ditado “o que não custa nada, não vale nada!” e por conta disso, eu relutei muito em publicar um primeiro curso gratuito. Fiz, em janeiro deste ano e o curso já conta com 336 inscritos e tem uma média geral de 4,60 e 48 comentários. Foi neste curso que eu fui chamada de 171 é verdade, mas ele tem uma ótima classificação geral e faz sim com que a visibilidade dos meus cursos dentro da plataforma aumente. Contudo eu ainda prefiro distribuir cupons de 100% de desconto para cursos pagos do que criar mais cursos gratuitos pois vejo que o engajamento é maior.

Seja generoso com os cupons mas use-os com propriedade!

Distribuir todos os seus cupons gratuitos no grupo de instrutores Udemy e não entre seus seguidores é uma grande besteira!

Seu colega instrutor vai assistir uma parte do curso, avaliar e talvez esquecer completamente dele. É normal: dentro do grupo temos também a função de “alunos teste” e as vezes ficamos sim sobrecarregados! Além disso, e talvez este seja o aspecto mais importante: os instrutores Udemy dentro do grupo não são seu público-alvo! E portanto, não participarão e nem avaliarão da mesma forma!

Eu costumo ser generosa com meus cupons gratuitos (distribuo uma média de 50 cupons em cada lançamento) e reservo uma boa parte para os instrutores por uma razão muito simples: quando eu comecei eu aprendi muito usando os cupons oferecidos pelos instrutores mais experientes e quero sim poder retribuir esta gentileza.

Mas, eu também distribuo esses cupons entre os assinantes da minha newsletter, entre meus seguidores e entre os alunos fieis: quando vejo que um aluno se matriculou em vários cursos, que acompanha de perto e confia no meu trabalho, envio sim um cupom gratuito como agradecimento.

Ahh mas eu estou perdendo uma venda! Não, eu estou fidelizando meu “cliente”. Um aluno que se sente reconhecido pelo simples fato de receber um cupom gratuito como agradecimento ele cria uma ligação com você: ele foi notado, foi valorizado e ele vai querer fazer com que outras pessoas saibam disso, que possam passar por essa mesma experiência.

Receber uma bolsa integral (cupom de 100% de desconto) para um curso pago é completamente diferente de se inscrever em um curso que é gratuito para todos.

Portanto, use esses cupons a seu favor! Pare de cobrar dos seus colegas intrutores que já tem tanto o que fazer no dia a dia e distribua seus cupons entre as pessoas que realmente vão fazer a diferença no curso: os que confiaram seus endereços eletrônicos para que você pudesse se comuinicar diretamente com eles, com seus seguidores nas redes sociais, com seus alunos fieis, em um grupo no Facebook que reúna seu público-alvo.

Eu comecei uma campanha visando aumentar consideravelmente meu número de alunos na Udemy oferecendo bolsas integrais para a participação em um dos meus cursos pagos. É uma campanha simples e você pode saber mais (e até participar se quiser) clicando AQUI.

Tudo o que está escrito no post “o conhecimento é um sistema de formação de conexões” é a mais pura verdade e foi esse interesse e feeback de uma aluna que me fez querer criar esta campanha.

Meu raciocínio foi simples:

Eu tenho atualmente 1094 alunos, mas 1524 matrículas. Isso significa que quase 50% dos meus alunos estão inscritos em mais de um dos meus cursos. Bom, o julgamento da minha estratégia eu deixo para você, ok? Até porque ela começou no dia 01 de abril e ainda está “desabrochando”.

Mas e você? Quais são suas estratégias? Comente e ajude nessa discussão!

 

About the Author

Leila Adriano Ostoyke é Professora, Empreendedora Digital e Instrutora Udemy.

Leave a Reply 4 comments

Juliana - May 4, 2017 Reply

Olá! Excelente blog! Adorei as dicas!

Rafael - September 27, 2017 Reply

Olá Leila!

Obrigado pelas dicas esclarecedoras! Realmente oferecer cupom de 100% é melhor do que um curso gratuito que pode não cativar o aluno a termina-lo.

Estou no processo de me tornar um instrutor Udemy, mas ainda o que fiz até agora é ler os artigos daqui, assistindo ao curso gratuito de como criar um curso na Udemy do Diego Davila, em breve vou ler o e-book que baixei daqui do site e também já adicionei seu curso relacionado a minha lista de desejos.

Abraço!

Leave a Reply: